CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS / CONTINUING CARE UNIT, OUTIZ

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

2009 / 2010 - PROJECTO DE EXECUÇÃO

ÁREA BRUTA: 1.415 m2

EQUIPA: ARQUITECTURA / COORDENAÇÃO - MARIA EMILIA GUEDES DE CASTRO E PAULO SANTOS LIMA

CRÉDITOS: COLABORADORES ARPADÓR - JOSÉ PSANTOS, JOÃO SOARES, CLAUDIO LIMA, INÊS BASTOS / ESTRUTURAS / ITE HIDRAÚLICAS - HEITOR FONSECA,LDA / ITE ELÉCTRICAS - FERNANDO RAMOS, SERVIÇOS DE ENGENHARIA LDA / ITE - AVAC E RSECE, GÁS, SOLAR TÉRMICO - PAULO QUEIRÓS FARIA, ENGENHEIROS CONSULTORES LDA

O EQUIPAMENTO QUE A SANTA CASA PRETENDE REALIZAR NA QUINTA DE OUTIZ É VOCACIONADO E ESTRUTURADO PARA A ASSISTÊNCIA EM VARIADOS NÍVEIS A DOENTES COM DEPENDÊNCIA, ACAMADOS OU NÃO. A CAPACIDADE SERÁ DE 30 UTENTES, REPARTIDOS EM TRÊS UNIDADES E COMPOSTAS COM 12 QUARTOS DE DUAS CAMAS, E 6 QUARTOS INDIVIDUAIS, TODOS COM INSTALAÇÃO SANITÁRIA PRIVATIVA E DE UTILIZAÇÃO COMPLETA; CADA UNIDADE É AINDA COMPLEMENTADA COM OS NECESSÁRIOS ESPAÇOS FUNCIONAIS DE APOIO.

O EDIFÍCIO A CONSTRUIR SERÁ INTEGRADO NUM GENEROSO TERRENO ONDE SE IMPLANTA JÁ O LAR DE IDOSOS JORGE REIS E DO QUAL USARÁ COMO APOIO A COZINHA, A CAPELA MORTUÁRIA E OUTROS ESPAÇOS DE SERVIÇO. A LIGAÇÃO SERÁ REALIZADA ATRAVÉS DE UM PASSADIÇO DE NÍVEL, QUE PERMITE ATRAVESSAR A LINHA DE ÁGUA QUE SEPARA OS DOIS TERRENOS.


O PROJECTO ESTUDA A EXPRESSÃO DO PROGRAMA NO SÍTIO. A VOLUMETRIA DO EDIFÍCIO PROCURA A ADAPTAÇÃO DO PROGRAMA A UM TERRENO ORIENTADO PARA NE E FORTEMENTE MARCADO PELAS VÁRIAS PLATAFORMAS QUE FORMAM A PENDENTE PARA A LINHA DE ÁGUA, CRIANDO UMA ORIENTAÇÃO PERSPÉCTICA INTERESSANTE.

ESPAÇO INTERIOR E FORMA SERÃO CONSEQUÊNCIA DO DESENHO DAS LIGAÇÕES VERTICAIS E HORIZONTAIS QUE SERVEM OS ESPAÇOS PROGRAMÁTICOS E QUE  SE ABREM A UMA EXPOSIÇÃO MARCADA PELO TEMPO SOLAR, GARANTINDO BOAS CONDIÇÕES DE INSOLAÇÃO NOS ESPAÇOS INTERIORES E EXTERIORES DE MAIOR PERMANÊNCIA. ESTA INTENÇÃO PROVOCA UM USO E UMA CIRCULAÇÃO QUE ASSENTAM NO FUNCIONAMENTO LONGITUDINAL, REFERENCIANDO A ENTRADA PRINCIPAL E AS COMUNICAÇÕES VERTICAIS NA INTERSECÇÃO DOS DOIS EIXOS DE FUNCIONAMENTO.

NA INTERPRETAÇÃO DO PROGRAMA, O DESENHO CONSIDEROU IMPORTANTE DEFINIR DESTE LOGO DOIS PONTOS QUE SE ENTENDEM COMO RESPONSÁVEIS PELA ESTRUTURA DO EDIFÍCIO. O PRIMEIRO DOS PONTOS ESTRUTUROU A ORGANIZAÇÃO DOS QUARTOS POR MÓDULOS, ASSEGURANDO QUE TODOS ELES USUFRUEM DE UMA BOA ORIENTAÇÃO SOLAR -QUADRANTE SUL E NASCENTE/POENTE. OPÇÃO QUE SE POR UM LADO SE REVELA COMO JUSTA E ACERTADA DECISÃO, QUE CARACTERIZA DE MODO SUPERIOR A HABITABILIDADE DOS QUARTOS, POR OUTRO É RESPONSÁVEL PELO AUMENTO DA ÁREA BRUTA NAS CIRCULAÇÕES DAS UNIDADES DE ALOJAMENTO. NÃO NOS ESQUECEMOS QUE ESTE EDIFÍCIO RECEBE RESIDENTES CONDICIONADOS NA SUA MOBILIDADE E QUE, EM ALGUNS CASOS, A SUA "CÉLULA VITAL" PODE SER APENAS CONSTITUÍDA PELO SEU QUARTO OU PELA SUA UNIDADE RESIDENCIAL; O 2º DOS PONTOS ESTUDOU O POSICIONAMENTO DO ESPAÇO RESERVADO À FUNÇÃO "ESTAR". ESTA É REPARTIDA POR VÁRIOS LOCAIS DO EDIFÍCIO, POSSIBILITANDO ESPAÇOS DE ENCONTRO DIFERENCIADOS NA DIMENSÃO E NO USO. OS QUARTOS DOS UTENTES PROLONGAM-SE PARA O EXTERIOR COM AMPLAS ABERTURAS; UMA VARANDA CORRIDA PERMITE UMA MORNA TRANSIÇÃO INTERIOR - EXTERIOR E UMA FRUIÇÃO FÁCIL E MOTIVADORA DESSE EXTERIOR AOS UTENTES QUE A POSSAM REALIZAR.


A ÁREA BRUTA DO EDIFÍCIO SERÁ DE 1414,69 M2 SENDO QUE O PISO 0 OCUPARÁ 344,26 M2 E O PISO 1 1070,43 M2. A ÁREA DE IMPLANTAÇÃO CORRESPONDERÁ Á ÁREA COBERTA DO PISO 1 E É DE 1070,43M2.

EM LINHAS GERAIS, A ESTRATÉGIA DO PROJECTO CONFERIU E ADOPTOU SOLUÇÕES QUE POSSAM GARANTIR A SIMPLICIDADE, ECONOMIA E SISTEMATICIDADE DO DETALHE E DOS PROCESSOS CONSTRUTIVOS, DE MODO A GARANTIR UM CUSTO POR M2 QUE POSSA VIABILIZAR A CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO.